Equivalência de estudos fora do Québec

Semana passada chegou o resultado da minha equivalência de estudos fora do Québec (Évaluation comparative des études effectuées hors du Québec). Graças a Deus deu tudo certo e reconheceram o meu bacharelado como “Études universitaires de premier cycle complétées (programme de trois années de baccalauréat)”.

Eu tinha um certo receio dessa equivalência, já que eu não cursei uma universidade federal no Brasil, mas tudo deu certo, não tive nenhum problema. Eu sei que temos a informação de que para informática não é necessária essa equivalência, já que não existe um órgão ou conselho regulamentando a profissão aqui, mas a Momentum me solicitou essa equivalência e eu tive que fazer.

A principal razão para eles me pedirem essa equivalência é que eles trabalham muito para o governo, que exige que todos os funcionários, mesmo os terceirizados, tenham seus estudos reconhecidos aqui. Para a contratação na própria Momentum, não foi preciso nem tradução, mas para trabalhar de fato em um cliente, isso poderia ser solicitado, daí, me pediram logo para fazer.

O processo todo é bem simples, nesse site você acha todas as informações que precisa. Basicamente é assim:

  1. Traduz o seu diploma e histórico, se eles não estiverem em inglês ou francês, mas a tradução precisa ser por um tradudor do OTTIAQ. Só é preciso fazer a tradução do último diploma. No meu caso eu fiz do bacharelado porque a pós-graduação não vale, tem menos de 450 horas. O próprio MICC faz a tradução também, mas eu acho que o tempo que leva e o valor não compensam.
  2. Preencher o formulário e entregar mo MICC, se você estiver aqui. Se não estiver acho que pode enviar pelos correios, mas não sei direito como fazer, acho que no site tem.
  3. Recebe em casa o resultado da equivalência.

Bem, o processo todo é bem simples e foi até rápido, no meu caso, 1 mês para receber o resultado. Achei que demoraria mais, pode ser que a demanda esteja baixa por agora, sei lá!

Abração e até a próxima!

NAS – Numéro d’Assurance Social

Finalmente chegaram as nossas carteiras do NAS. Finalmente estou me sentindo um pouco mais canadense.

Como um bom filho de Murphy (a lei dele é realmente infalível comigo), quando nós solicitamos o nosso NAS, não recebemos o número na hora, como acontece com 90% das pessoas. Nossa demanda não pôde ser online, então tivemos que aguardar até hoje sem o número e o pessoal lá na empresa estava doido me cobrando isso.

Fomos lá várias vezes procurar o número e saber como estava a demanda, mas nada adiantou, nem o número ainda tinha sido gerado no sistema. Mas ainda bem que isso chegou, finalmente vou estar correto agora na empresa, com meu cadastro competo e meu NAS sendo citado nos meus pagamentos, imagino eu.

Eu soube hoje, de um colega la da empresa, que nós podemos escolher um sobrenome para usar aqui nos documentos, que ele fez assim, suprimiu o sobrenome do meio. Como eu não sabia disso, em todas as demandas que eu fiz coloquei todos os sobrenomes, mas vou ver se consigo tempo de ir no guichê Service Canada para ver a possibilidade de trocar o nome e ficar só com um sobrenome. Aqui essa questão de ter muitos sobrenomes é bem ruim, eles não estão acostumados. Vamos ver no que dá!

Abraços,

HSBC no Canada

Bom, como prometido, vou contar como esta sendo a minha experiencia com o HSBC aqui no Québec:

Uns 3 meses antes de viajarmos, mais ou menos, abrimos a nossa conta HSBC premier no Brasil e logo solicitamos a abertura da conta no Canada. Como todos já devem saber, o HSBC acaba sendo o banco mais solicitado pelos imigrantes porque permite a transferência de dinheiro para o Canada sem o pagamento de taxas, até um certo limite, mas que faz a gente se interessa muito. Outro fator que me fez escolher o HSBC foi a “tranquilidade” que eu teria abrindo a minha conta ainda aqui no Brasil, já chegaria no Canada com uma conta aberta, sem dor de cabeça.

Ainda no Brasil tive alguns pequenos problemas, mas acho que todos devem ter tido esses problemas, já que você tem que abrir a sua conta no exterior pelo IBC e o seu gerente ou qualquer pessoa na agência parece desconhecer completamente esse processo de abertura de conta no exterior. Eu achei bizarro ter que ficar ligando para o IBC, preenchendo formulários e indo na agência entregar, mas vou pular isso que foi um problema especifico e ficou no Brasil.

Consegui abrir a conta e recebi em casa os cartões de débito e os cheques. Ainda no Brasil consegui fazer funcionar o Global View, mas tive que ligar para o Canada para isso. Tudo parecia muito promissor, nessa hora a Momentum já tinha minha conta canadense para depositar meu salario e tudo mais.

Os problemas começaram de verdade quando cheguei aqui. O cartão de débito vem bloqueado e você deve ir na agencia desbloqueá-los. Fomos na agencia e fizemos o desbloqueio dos cartões, testamos, estava tudo bem e nessa hora nos ofereceram os cartoes de credito MasterCard: “o senhor já tem cartões MasterCard no Brasil, não gostaria de ter os cartões daqui também não?”

Achei incrível o serviço do banco, preenchi um formulário e entreguei. “Pronto, é só o senhor aguardar….”. Sai feliz da vida, porque como todos sabem cartões de crédito são uma boa forma de construir um histórico de crédito no Canada. Na outra semana, eu voltei na agência para sacar dinheiro e aproveitei para perguntar do meu cartão. A funcionaria foi lá dentro e voltou com uma espécie de gerente que me informou que para o HSBC do Canada analisar as minhas informações no Brasil poderia demorar de 6 – 8 semanas e que eu aguardasse. (O que?)

Depois de eu perguntar o porque disso, que eu abri minha conta de lá, que quando eu recebi na minha casa o Welcome Kit, dizia que era tudo fácil e rápido, que eu era HSBC Premier no Brasil e no Canada e etc, a gerente me explicou o seguinte:

  • Eu posso ter um cartão de crédito se eu deixar um dinheiro bloqueado no banco, esse valor é o dobro do limite do meu cartão. igual a qualquer banco aqui pode fazer, sem diferença nenhum por ser premier ou estar trabalhando ou nada dissso.
  • Se eu não quiser deixar esse valor bloqueado, eles mandam aquele formulário que eu preenchi para a área internacional daqui que demora aquele tempo todo para analisar e me dizer alguma coisa.

Dai eu me pergunto, porque quando eu cheguei, ninguém me falou nada disso, não marcaram um horário para eu conversar com alguém? Eu estava recém-chegado, sem entender nada de termos bancários em francês e achando que minha conta estava regularizara aqui, porque eu enviei para o IBC todos os documentos, inclusive o contrato de trabalho.

Eu disse que queria os cartões mais rápido, que ela podia bloquear o dinheiro, mas ela disse que precisava marcar um rendez-vous comigo para fazer isso, que ela iria checar as informações da minha conta. Na outra semana eu volto lá e durante esse rendez-vous eu descubro que varias informações que eu enviei naquele formulário não estavam lá, principalmente a parte que fala sobre o meu emprego. Depois de uns 40 min. de atualização, ela bloqueia meu dinheiro de me diz que os cartões chegariam com 2 semanas em nossa casa. Ah, antes que eu esqueça, ela me cobrou 59$ para fazer o bloqueio!
Hoje fazem 2 semanas e esse cartão ainda não deu sinal de vida. A agencia do banco fica a um pouco mais de 1h do meu trabalho, ou seja, para eu ir lá é uma mão-de-obra grande, porque eles encerram o expediente 16h. E antes que alguém sugira que eu ligue para uma central ao invés de ir lá, quando eu liguei, depois de preencher o primeiro formulário, o atendente me informou que a solicitação do cartão é só na agência mesmo.

Bem, é isso! Já li alguns relatos de pessoas que nunca tiveram problemas com o HSBC, mas eu fui sorteado! Detestei o banco. Com certeza vou ter conta em 2 bancos aqui, deixar o HSBC por enquanto para essa questão de transferência de dinheiro, mas qualquer outro serviço vai ser por outro banco!

Quem solicita ainda do Brasil os cartões de crédito talvez pulem essa fogueira, mas para isso tem que informar um endereço canadense e eu não tinha noção nenhum de que isso poderia acontecer. Do Brasil parece que realmente você nunca teria problemas.

Já escrevi demais, espero que os tem HSBC não precisem passar por isso! Abraços!

1 mês de imigração!

Pois é, 1 mês de Québec!
Apesar da correria, estamos curtindo muito a cidade, aproveitando que tem muito sol e calor (sim, você leu certo, ta muito quente!). Da nossa lista de pendências iniciais, muita coisa ja foi riscada:

Conseguir alugar um apartamento (bail de 1 ano).
Se matricular em um curso de fancisação
Fazer uma equivalência dos estudos (exigência da Momentum, eu também achava que TI não precisava)
NAS e Assurance Maladie

A parte da correria é porque foi uma maratona até achar um apartamento legal, que a gente gostasse e que fosse bem localizado (ônibus). Agora estamos em outra maratona, que é comprar as coisas para a casa, e haja coisa para comprar viu?
Essa semana eu tive a confirmaçao de que o meu primeiro projeto vai ser com a Universidade Laval, o que vai ser otimo, porque o meu curso de francês é no Cegep de Sainte-Foy, sem falar que fica a 15 min do apartamento que alugamos. Ah, fiquei sabendo também que vou trabalhar com outro brasileiro recrutado na missao TI, não achei que isso fosse acontecer. Imaginava que os imigrantes fossem inseridos nos projetos junto com québécois, para dar uma equilibrada, mas acho que eles não estão preocupados com isso!
Conhecemos semana passada, bem por acaso, um casal de brasileiros que esta aqui a 2 meses e que vieram pela missao. É muito massa ir conhecendo as pessoas aqui, cada um com sua trajetoria rumo ao Québec, faz você relembrar um pouco o caminho que percorreu até chegar aqui.
Vou falar disso em um outro post, mas tivemos alguns problemas com o HSBC Premier, com relaçao ao cartao de crédito.
Espero que até o fim do ano estejamos com a vida menos corrida, risos!
Abraços e até a próxima!

Duas semanas e meia de Québec

Ainda é pouco tempo de Québec para poder falar muito, mas aos poucos estou conhecendo mais a cidade, me adaptando ao novo trabalho e ao novo idioma e posso dizer que conosco está tudo muito bem!

Na minha empresa havia uma possibilidade de uma vaga em Montréal, mas como essa vaga estava demorando muito de se confirmar, acertei com a empresa que esse primeiro ano ficaria aqui mesmo em Québec, onde as oportunidades dentro da empresa pra mim são melhores, e depois, se for o caso, analisaremos as possibilidades em Montréal.

Nessas duas semanas que passaram já fizemos muita coisa mesmo. No fim de semana passado recebemos a visita de Eric e fizemos alguns passeios pela cidade, o que incluiu uma ida ao cinema! Essa semana nos encontramos com nosso amigo Jean-Philippe, que é quebecois e nos mostrou mais um pouco da cidade.

Eu estava analisando as fotos aqui e notei como uma semana faz muita diferença no clima em geral daqui, reparem as fotos abaixo:

Tirando que na primeira foto estava nublado, a recuperação da vegetação é algo muito impressionante! O pessoal aqui aproveita muito o sol, as muito mesmo. No primeiro passeio, estava mais frio e nublado, por isso vemos menos carros na rua, menos gente andando, mas hoje estava um sol muito bom, o dia estava fantástico, todo mundo na rua, passeando.

Agora que está certo que vamos ficar aqui de verdade, estamos correndo atrás de apartamentos para alugar, curso de francês e etc., mas enquanto não conseguimos nada, vamos aproveitando a cidade e curtindo o máximo possível!

 

Abraços e até a próxima!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 59 outros seguidores